Sociedade

INCÊNDIO EM HOSPITAL FEDERAL

Bolsonaro reduziu 11% de verba do Hospital Federal de Bonsucesso no Rio de Janeiro

Durante o governo do presidente de extrema-direita Jair Bolsonaro, o Hospital Federal de Bonsucesso (HFB), que pegou fogo hoje na Zona Norte do RJ, teve 11% de redução de verba.

terça-feira 27 de outubro| Edição do dia

Imagem: Fausto Maia/TheNews2/Estadão Conteúdo

Entre janeiro e outubro de 2020, o HFB pretendia custear R$145,3 milhões das contratações já realizadas (empenhos), sendo que pagou apenas R$95,16 milhões, segundo cruzamento de dados do portal UOL. Essa redução equivale, segundo o cruzamento, a 11% nos valores empenhados e 8,4% em despesas pagas até outubro.

Na manhã desta terça feira (27) o Hospital Federal de Bonsucesso sofreu com um incêndio no prédio do hospital. O fogo começou no prédio 1 e tirou a vida de dois pacientes. Segundo informações da Defensoria Pública da União (DPU), o hospital no ano recebeu no ano passado, uma alerta de risco de incêndio no conjunto dos prédios. O defensor público Daniel Macedo alertou o risco de dois transformadores da unidade de hospital funcionando com nível de superaquecimento.

Essa cobrança de providências de mais de um ano ocorreu por causa de um relatório produzido em abril de 2019 por uma equipe de engenheiros, a pedido do Ministério da Saúde, constatou diversos problemas na estrutura de combate a incêndios do HFB. Um ano e meio depois, nada foi feito.

O Ministério da Saúde, quando questionado hoje sobre a falta de providências para sanar o risco de incêndio no hospital, limitou-se a lamentar o escândalo em nota.

Além disso, risco de fogo era denunciado há 13 anos, segundo presidente do Sindicato dos Médicos. Pelo menos desde 2007 os profissionais de saúde denunciavam problemas elétricos e risco de incêndio no HBF. “As primeiras denúncias são de 13 anos atrás, e a única providência até hoje foi a compra de extintores de incêndio, no ano passado. A fiação nunca foi trocada”, disse o médico.

“Além dos problemas na estrutura do prédio, faltou treinamento e coordenação para salvar os pacientes. Os funcionários não sabiam para onde levar os pacientes, porque nunca tinham tido treinamento, não havia um protocolo”, afirmou o médico. “Também faltaram macas. Muitos pacientes foram removidos em cadeiras ou, pior, sobre lençóis”, relatou também Telles.

Telles também chegou a afirmar que esses problemas não são exclusivos do HBF: “Nenhum dos seis hospitais federais do Rio tem a documentação exigida pelos bombeiros, assim como outros hospitais públicos do Rio também não têm. A direção do Hospital de Bonsucesso é trocada com muita frequência, o diretor nem teve tempo de conhecer o hospital e já é substituído, e são todas indicações políticas, nunca técnicas”.

Fontes: UOL e Agência Estado




Tópicos relacionados

Teto de Gastos   /    Crise na Saúde   /    Governo Bolsonaro   /    Incêndio   /    Rio de Janeiro   /    Sociedade   /    Política

Comentários

Comentar